Percurso para convidar as crianças a imergir no mundo da arte

Painéis de mosaico, esculturas de monstros, instalações de lambe-lambe, ilustrações nas paredes… Os participantes do Ateliê Arte para Todos já produziram as mais diversas obras e deixaram sua marca na sede do MP Itapevi e nas escolas participantes do Ateliê-Escola – uma das maneiras pelas quais mostramos às crianças o poder que elas têm de interferir no mundo.

Pra chegar nesse resultado, o primeiro passo é encantar meninos e meninas ao introduzi-los no mundo da arte. A estratégia adotada pela educadora Fúlvia Marchezi para convidá-las para o percurso é a contação de histórias. Fúlvia apresenta as histórias de maneira divertida e cheia de expressões, já tendo utilizado até fantasias e adereços – depois, os participantes fazem ilustrações dos contos. “É para que eles se encantem com a proposta do ateliê, de ser algo diferente do que eles estão acostumados”, explica.

O objetivo do ateliê é a alfabetização visual, ou seja, ensinar os participantes a apreciar, descrever e questionar o que veem em obras de arte, identificar elementos do desenho, desenhar de forma livre e expressiva e reconhecer obras de grandes artistas. Por isso, após o momento do convite com as histórias, as crianças começam a realizar uma série de atividades que exercitam essas habilidades. Elas fazem exercícios que envolvem elementos do desenho, conhecem diferentes linguagens artísticas e discutem obras de arte.

Fúlvia dá preferência por contextualizar as obras de artistas renomados com as atividades do ateliê. “Mostro referências de artistas que trabalham em suas obras elementos que estou trabalhando com as crianças, para estabelecer uma conexão.” Alguns exemplos são o pontilhismo do francês Georges Seurat, os pontos e esferas da japonesa Yayoi Kusama, as linhas do norte-americano Saul Steinberg e as esculturas e instalações da francesa Louise Bourgeois.

Além do produto final, que são as instalações nas escolas e na sede do MP Itapevi, a ideia é que os participantes encontrem sua própria maneira de desenhar e se expressar e ampliem seu repertório e a forma como leem as obras de arte. “Um dos principais resultados esperados é que a criança que desenha de um jeito restrito, fazendo pessoas de palito, cabelos em espiral, consiga quebrar tudo e fazer desenhos de uma forma que ela nunca tentou”, diz Fúlvia.

Publicado em julho 12, 2017, em Artes plásticas, Ateliê Arte para Todos, Ateliê-Escola, Matéria-Prima Itapevi e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: