Arquivo da categoria: Ateliê Digital

Ateliê-Escola: saiba como foram os encerramentos em cada ateliê

O Ateliê-Escola encerrou as atividades de 2016 com uma série de atividades e apresentações que envolveram os participantes dos ateliês, pais e comunidade escolar. Confira o que foi realizado ao longo de novembro e no início de dezembro!

As crianças do Ateliê Arte para Todos decoraram bancos da EE Professora Amélia Moncon Ramponi e muretas, corrimões e armários da EMEF Alferes Tiradentes com mosaicos coloridos. O 1º ano da EMEF Carlos de Andrade Rizzini desenhou retratos inspirados nas pinturas de Amadeo Modigliani, que foram colocados em uma placa de MDF e instalados em uma parede da escola. E a turma da EMEF Professora Maria Lucia dos Santos finalizou sua colcha de retratos, que será instalada na escola.

O encerramento do Ateliê Canto em Grupo foi marcado por diversas apresentações! Algumas delas aconteceram durante as Mostras Culturais da EE Amélia Moncon e das EMEFs Carlos Rizzini, Doutor Antônio Carlos de Abreu Sodré e Professor Laerte Ramos de Carvalho. Já as crianças das EMEFs Alferes Tiradentes e João Gualberto do Amaral Carvalho, além de outras turmas da EE Amélia Moncon e da EMEF Carlos Rizzini, se apresentaram em suas escolas para pais, alunos e funcionários.

Nas EMEFs Alferes Tiradentes e Carlos Rizzini e na EE Amélia Moncon, as turmas do Ateliê Jogos e Brincadeiras se juntaram para um dia de muita diversão, com várias brincadeiras regionais aprendidas no ateliê durante o semestre.

O Ateliê Era Uma Vez… organizou o lançamento e a entrega dos livros elaborados pelos participantes ao longo do semestre. As crianças da EMEF Maria Lucia dos Santos e da EE Amélia Moncon fizeram textos e ilustrações para recontar do seu próprio jeito as histórias que conheceram no ateliê.

As turmas do Viveiro Escola na EMEF Alferes Tiradentes foram presenteadas com vasinhos de mudas e participaram de brincadeiras no espaço do viveiro. Na EMEFM Professor Linneu Prestes, as crianças prepararam vitaminas deliciosas misturando frutas e ervas e hortaliças colhidas no viveiro: menta, couve, malva-cheirosa, malvavisco, hortelã, flor-de-cosmo, erva-doce, folha de pitanga e capim-limão.

Uma grande roda de capoeira foi realizada na Mostra Cultural da EMEF Laerte Ramos para finalizar as atividades do Ateliê Som e Movimento – Capoeira. Cada turma da EE Amélia Moncon também organizou uma roda para jogar capoeira.

O Festival de Animação do Ateliê Digital agitou a criançada da EE Amélia Moncon e das EMEFs João Gualberto e Antônio Carlos Sodré! Desta vez, os filmes em stop motion de cada escola foram exibidos em outra escola para que os alunos escolhessem o vencedor do Festival. As turmas premiadas receberam medalhas e um troféu. Além disso, os filmes feitos pelos participantes da EMEF Laerte Ramos no primeiro semestre e pelas crianças da EE Amélia Moncon neste semestre foram exibidos nas Mostras Culturais das escolas. Confira duas das produções deste ano:

Ateliê Digital encerra semestre com Festival de Animação

O Festival de Animação marcou o encerramento das atividades deste semestre no Ateliê Digital, do Ateliê-Escola! Ele aconteceu em duas etapas. Nos dias 13, 14 e 15 de junho, os filmes em stop motion criados pela garotada foram exibidos a outras turmas da escola que não participam do Ateliê. Eles foram convidados a escolher o filme que mais gostaram e a depositar um papel com seu voto em uma urna.

Na semana seguinte, foi a vez das crianças do Ateliê assistirem aos filmes e conhecerem os vencedores do Festival. Das 12 turmas que participaram, seis foram premiadas com medalhas e um troféu. O pessoal ficou na maior ansiedade para saber qual foi o filme vencedor, e é claro que as turmas premiadas comemoraram muito. Mas todos estão de parabéns e podem se considerar vencedores, porque os filmes estão incríveis! Você pode conferi-los neste site, junto a outras animações feitas nos semestres anteriores.

Os vencedores desta edição do Festival de Animação foram os filmes “A lenda do tênis misterioso”, da EE Professora Amélia Moncon Ramponi; “O menino fantasma” e “Epa, o menino sumiu!”, da EMEF Alferes Tiradentes; “A turma do barulho”, da EMEF Doutor Antônio Carlos de Abreu Sodré; e “A festa à fantasia” e “O mistério do bebedouro enfeitiçado”, da EMEF Professor Laerte Ramos de Carvalho.

Animações em stop motion estreladas pelas crianças do Ateliê Digital

Neste semestre, os participantes do Ateliê Digital, do Ateliê-Escola, estão atuando não apenas por trás das câmeras: eles são os protagonistas das animações em stop motion! Essa é apenas uma das novidades do Ateliê, que está sendo realizado com 12 turmas nas EMEFs Professor Laerte Ramos de Carvalho, Alferes Tiradentes e Doutor Antônio Carlos de Abreu Sodré e na EE Professora Amélia Moncon Ramponi.

“No ano passado fizemos isso de forma experimental com alguns grupos, e nesse semestre a adesão foi geral”, conta o educador Lucca Cardoso. Cada turma está produzindo um filme de 6 a 7 minutos, com roteiros feitos de forma coletiva. As crianças escreveram histórias com o tema livre – as únicas regras foram que elas deveriam se passar dentro da escola e que os participantes do Ateliê seriam os personagens. Depois, as histórias foram lidas pelo educador e a turma criou um roteiro aproveitando ideias de todo mundo.

Além do roteiro, a meninada já fez aulas práticas, assistiu às animações produzidas no ano passado e a outros filmes em stop motion para se inspirar e tirou as fotografias que irão compor a animação. Agora eles vão começar a gravar as narrações e selecionar os efeitos e a trilha sonora para que Lucca possa fazer a edição final. O educador terá a ajuda do designer digital Raphael Motti, que foi jurado do 2º Festival de Animação do Ateliê Digital, para incrementar alguns vídeos com efeitos de computação gráfica.

Mesmo sem experiência como atores, as crianças estão se saindo muito bem! Lucca explica que o grande desafio é com a fisionomia: como não tem som, as expressões do rosto têm que demonstrar claramente o que o personagem está sentindo. “Eles já entenderam como a atuação em frente a uma câmera de vídeo é diferente da que é feita com uma câmera fotográfica. Está sendo uma experiência bem legal e interessante”, diz o educador. Os professores das turmas também estão bastante envolvidos com as produções!

O Festival de Animação que acontecerá em cada escola no final do semestre terá como jurados outras turmas que não participam do Ateliê. Os filmes serão exibidos em sessões de cinema e os alunos deverão escolher um vencedor. Os autores do filme mais votado receberão medalhas e um troféu.

Ateliê-Escola começa o ano com novidades nos ateliês

As turmas do Ateliê-Escola começaram o ano bastante empenhadas nos ateliês. Neste primeiro mês já teve muita música, contação de histórias, brincadeiras, atividades nos viveiros… Também há novidades nos ateliês – olha só o que vem por aí!

O Ateliê Som e Movimento – Capoeira conta com um novo educador: Rodrigo Moreira, conhecido como Carioca. Ele faz parte do Grupo Nzinga de Capoeira Angola e pratica esse estilo de capoeira há 13 anos. As crianças do 1º ano da EMEF Professor Laerte Ramos de Carvalho vão conhecer mais sobre as tradições da capoeira Angola neste ano e já começaram a treinar o movimento básico da capoeira, chamado de ginga.

A natureza foi a inspiração para os repertórios escolhidos pelos educadores Daniel Reginato e George Ferreira para o Ateliê Canto em Grupo. Com o projeto “Entre bichos e ritmos”, Daniel vai apresentar diferentes animais da fauna brasileira por meio de canções. Já as turmas de George conhecerão músicas que falam sobre elementos da natureza e sua relação com o ser humano, no projeto “Encantos da natureza”. Os dois repertórios incluem canções de grandes compositores brasileiros e de ritmos típicos do país.

A educadora Fúlvia Marchezi transformou os primeiros encontros do Ateliê Arte para Todos em sessões muito divertidas de contação de histórias. A ideia é que os participantes do ateliê explorem os elementos das histórias para depois aproveitá-los em suas próprias criações. Neste semestre as turmas farão pinturas em tecido, que serão transformadas em uma colcha de autorretratos para decorar um espaço da escola.

E a garotada do Ateliê Digital vai produzir filmes com a técnica de stop motion, que foi um sucesso com as turmas de 2015. Mas neste ano os filmes terão um toque diferente: as próprias crianças aparecerão como os personagens!

Festival de Animação, atividades no viveiro e vernissages para fechar 2015

Três ateliês do Ateliê-Escola encerraram as atividades de 2015 com uma programação especial! Veja o que os educadores prepararam para a criançada.

Nos dias 16, 17 e 18 de novembro aconteceu o 2º Festival de Animação do Ateliê Digital. Os participantes assistiram às animações em stop motion criadas pelos grupos nas EMEFs Doutor Antônio Carlos de Abreu Sodré, Carlos de Andrade Rizzini e João Gualberto do Amaral Carvalho e na EE Professora Amélia Moncon Ramponi. Em seguida, o educador Lucca Cardoso anunciou os vencedores de cada categoria: melhor filme, roteiro, trilha ou efeito sonoro, cenografia e o prêmio especial do júri.

Foi a maior empolgação! Algumas crianças até choraram de emoção ao receber as medalhas e troféus. Esta edição do Festival teve como jurados a radialista e fotógrafa Ana Marinovic, a fotógrafa e videomaker Juliana Pera, a produtora de TV Etiene Pimenta e o designer digital Raphael Motti. Você pode conferir as animações das crianças neste site.

No Viveiro Escola foram realizadas atividades diferentes nas escolas participantes nos dias 24 e 26 de novembro. O educador Bruno Helvécio organizou um piquenique de frutas no viveiro da EMEF Alferes Tiradentes, seguido de brincadeiras com as crianças. Na EMEFM Professor Linneu Prestes, duas das turmas plantou mudas nos canteiros preparados durante o semestre junto com o educador Julio Muller. Para encerrar o semestre com as outras duas turmas da EMEFM Linneu Prestes, o educador Pedro Massella preparou chás com as ervas cultivadas no viveiro pelos participantes do Ateliê.

O Ateliê Arte para Todos foi encerrado com vernissages nas EMEFs Professora Maria Lucia dos Santos, Alferes Tiradentes, João Gualberto do Amaral Carvalho e Carlos de Andrade Rizzini. Nos dias 23 e 26 de novembro aconteceram as inaugurações dos painéis de mosaico criados pelos participantes do Ateliê e inspirados no conto “Barba-Azul”, dos irmãos Grimm. As crianças acompanharam a instalação da plaquinha com informações sobre a obra e os autores e comemoraram com suco e bolo. A educadora Fúlvia Marchezi ainda mostrou vídeos de obras famosas feitas com mosaico: o Parque Güell, de Antoni Gaudí, o Jardim do Tarô, de Niki de Saint Phalle, e a Casa de Pedra, de Estevão Silva Conceição (conhecido como Gaudí Brasileiro).

Expectativas em alta para o 2º Festival de Animação do Ateliê Digital

Depois do sucesso do 1º Festival de Animação, as novas turmas do Ateliê Digital, do Ateliê-Escola, estão preparando suas animações em stop motion para a segunda edição do Festival! Assim como no semestre anterior, objetos do dia a dia estão sendo usados como personagens: materiais escolares, massinha, pregadores de roupa, entre outros. Mas este semestre conta com novidades!

O educador Lucca Cardoso diz que muitos grupos escolheram fotografar em áreas externas da escola, usando luz natural, o que deu um toque diferente para os filmes. Algumas crianças resolveram participar como personagens das animações e, nesta edição, ainda contam com bonequinhos de LEGO para complementar os materiais! Os grupos estão terminando de fotografar as cenas para depois criar os filmes.

Esta edição terá novos jurados, além de duas juradas que participaram no primeiro semestre: a fotógrafa e videomaker Juliana Pera e a radialista e fotógrafa Ana Marinovic. Juliana conta que adorou o convite para conhecer o trabalho das crianças. “Alguns filmes me surpreenderam pela história, e mesmo os mais simples ficaram bacanas. Deu para perceber que todos entenderam o conceito da animação”, afirma.

Ana também elogiou o empenho da garotada. “As crianças se dedicaram bastante, abraçaram mesmo o projeto, e os trabalhos ficaram incríveis”, comenta. As duas juradas estão com boas expectativas para a segunda edição do festival! “Acho que o segundo festival tem tudo para ser um sucesso, como o primeiro”, diz Ana.