Arquivo da categoria: Brincadeiras

Uma formação de brincadeira!

Mais uma vez, o Instituto Eurofarma está oferecendo uma formação para professores das redes públicas de Itapevi e São Paulo. O objetivo é compartilhar com professores e professoras as estratégias e recursos de ensino utilizados em dois projetos do Instituto, o Matéria-Prima Itapevi e o Ateliê-Escola. Neste ano, a formação é sobre o brincar na escola e está sendo conduzida por Biba Rigo, educadora do Ateliê-Escola.

A formação foi dividida em quatro encontros – em Itapevi, eles começaram no dia 19 de outubro, com a presença da secretária municipal de Educação, Virgínia Soares de Oliveira. O objetivo foi conversar com as professoras sobre a importância das brincadeiras livres na escola e sua relação com a valorização da infância. A cada encontro, Biba apresenta um repertório de brincadeiras e construção de brinquedos e convida as professoras a brincarem junto.

Para a professora Daniela Santos, do CEMEB Rui Barbosa, as brincadeiras realizadas na formação estão fazendo com que as professoras se lembrem do quão prazeroso é brincar. “Infelizmente, no Infantil, muitos professores estão tendo um olhar excessivamente alfabetizador e acabam se esquecendo das brincadeiras”, diz. “O que a gente está percebendo é que os professores estão focados em passar muitos conteúdos para as crianças pequenas. Então a gente está tentando mudar isso, e essas discussões são muito ricas”, acrescenta Edna Duraes de Santana, supervisora de Ensino da Secretaria Municipal de Educação de Itapevi.

A formação em São Paulo acontecerá ao longo do mês de novembro.

Brincadeiras que ultrapassam gerações no Ateliê de Jogos e Brincadeiras

É comum ouvirmos os adultos dizerem que as crianças não brincam mais como as gerações anteriores, que reuniam a vizinhança na rua e se divertiam com várias brincadeiras. E, de fato, a tecnologia e a dinâmica das grandes metrópoles mudaram a forma de brincar das novas gerações. Mas existe um movimento por parte de escolas e organizações que busca resgatar as brincadeiras tradicionais entre as crianças.

O projeto Território do Brincar é um exemplo. Os documentaristas Renata Meirelles e David Reeks viajaram pelo Brasil junto com seus filhos para conhecer e registrar as mais diversas formas de brincar em grandes e pequenas cidades e comunidades rurais, indígenas e quilombolas. Essa jornada já originou um documentário, filmes de curta-metragem, séries para TV, livros, artigos e uma exposição itinerante, formando um extenso registro da cultura infantil no país. Muitas dessas produções podem ser acessadas no site do projeto, como uma série de vídeos que mostram brincadeiras típicas de diferentes regiões brasileiras.

No Matéria-Prima Itapevi, esse tema está presente no Ateliê de Jogos e Brincadeiras, conduzido pela educadora Luana Batista. Ao longo do ano, Luana ensina brincadeiras tradicionais, como peteca, gato mia e bola de gude, e apresenta brincadeiras de todas as regiões do país. Os participantes brincam de sorriso milionário (Paraíba), pato, pato, ganso (Mato Grosso do Sul), acorda leão (Minas Gerais) e muitas outras. “Quando as crianças veem que estão brincando de uma brincadeira que surgiu em outro estado, ficam surpresas”, conta.

A educadora também pede para que os participantes conversem com seus familiares sobre as brincadeiras que aprenderam para saber se eles brincaram daquilo quando eram crianças. “Uma das coisas mais legais é essa identificação, acreditar que eles fazem parte disso, que seus pais e avós brincaram e que eles também estão brincando. Existe uma história, uma troca”, explica.

Luana acrescenta que brincar é um direito de toda criança – mas isso não significa que os adultos têm que ficar de fora. O documentário Tarja Branca (2014), dirigido por Cacau Rhoden, faz uma reflexão sobre a importância do brincar na educação e no desenvolvimento das crianças e a necessidade de manter as manifestações do brincar durante a vida adulta. Professores, pesquisadores, psicólogos, artistas e outros profissionais relembram as brincadeiras de infância e mostram que a brincadeira tem um papel relevante na socialização das pessoas, além de fazer parte da cultura popular.

Final de semestre com torta na cara e contação de histórias

No Ateliê-Escola, os Ateliês Jogos e Brincadeiras e Era Uma Vez… prepararam atividades especiais para encerrar o semestre! As crianças do Ateliê Jogos e Brincadeiras participaram de um campeonato muito divertido de perguntas e respostas, no estilo “torta na cara”. Os pequenos foram divididos em equipes e se revezaram para responder perguntas feitas pela educadora Luana Batista, envolvendo temas das atividades feitas durante o semestre.

O primeiro a bater na campainha tinha que responder a pergunta. Se acertasse, dava uma “tortada” de chantili no rosto do adversário. E se errasse, era ele quem ficava com a cara toda melecada! As três equipes que acertaram mais perguntas ganharam medalhas de ouro, prata e bronze, e a vencedora também recebeu um troféu. O campeonato foi realizado nos dias 27, 28 e 30 de junho nas EMEFs Doutor Antônio Carlos de Abreu Sodré, Alferes Tiradentes, Professora Maria Lucia dos Santos e na EE Professora Amélia Moncon Ramponi.

Já o pessoal do Ateliê Era Uma Vez… escolheu a história que mais gostou de conhecer durante o semestre para contá-la a outras turmas da escola. Foram selecionados os contos populares “Três desejos”, “Maria Angula” e “Rei cabeça de galinha”. Além disso, as crianças mostraram para os colegas os cadernos que fizeram com ilustrações dos contos apresentados pelo educador Márcio Maracajá no Ateliê. As apresentações aconteceram em 28 e 30 de junho nas EMEFs João Gualberto do Amaral Carvalho, Alferes Tiradentes e Professor Laerte Ramos de Carvalho.

Um campeonato que divertiu – e lambuzou – as crianças do Ateliê-Escola

As crianças do Ateliê Jogos e Brincadeiras, do Ateliê-Escola, participaram de um campeonato muito animado para marcar o encerramento do semestre! Em cada escola, as turmas competiram para ver quem acertava mais perguntas feitas pela educadora Luana Batista. E se alguém errasse… torta na cara! Era uma torta de mentirinha, só com chantili, mas que lambuzou e divertiu os pequenos. Se a criança desse a resposta certa, era o seu adversário quem levava a “tortada”.

Os competidores receberam faixas de cores diferentes para amarrar na cabeça e identificar as equipes. As perguntas tinham a ver com os temas dos jogos e brincadeiras que o pessoal fez durante o semestre: matemática, formas geométricas, corpo humano e reciclagem. Cada resposta certa valia um ponto, e a cada rodada continuavam as equipes que acumulavam mais pontos.

No final, todos os pontos foram somados e chegou a hora de falar quais foram as equipes que ficaram em primeiro, segundo e terceiro lugares. A torcida foi grande, assim como a alegria dos times vencedores! Como prêmio, eles receberam medalhas de ouro, prata e bronze, além do troféu para a primeira equipe colocada.

As escolas que participaram do campeonato foram a EMEF Maria Lucia dos Santos e a EMEF Alferes Tiradentes, ambas no dia 22 de junho, a EMEF Doutor Antônio Carlos de Abreu Sodré, no dia 24 de junho, e a EE Professora Amélia Moncon Ramponi, no dia 26 de junho.

Encerramentos no Ateliê-Escola com teatro, trocas de mudas e campeonatos

As atividades do Ateliê-Escola de 2014 chegaram ao fim! E os participantes encerraram o ano com apresentações, instalações e brincadeiras muito bacanas. Veja só o que aconteceu em alguns dos ateliês.

As crianças do Ateliê Era Uma Vez… na EMEF Carlos Andrade Rizzini e na EMEF João Gualberto do Amaral Carvalho conheceram os elementos da narrativa – herói, anti-herói, narrador, vilão, cenário, objeto mágico, entre outros – por meio de cinco histórias. O educador Márcio Maracajá também realizou exercícios teatrais com as turmas sobre essas histórias, nos quais elas puderam recriar os enredos. No final, os participantes prepararam uma apresentação teatral de uma história que eles mesmos criaram e convidaram outras turmas da escola para assistir.

 

Depois de conhecer técnicas para a plantação de mudas e revitalização dos canteiros, os participantes do Viveiro Escola organizaram Feiras de Troca de Mudas! Na EMEF Alferes Tiradentes, dava para trocar sementes por adubo, mudas por um passeio no viveiro e assim por diante. Quatro turmas convidadas e funcionários da escola também participaram dessa Feira, que teve a orientação do educador Bruno Helvécio. Já na EMEFM Professor Linneu Prestes havia vários cantinhos oferecendo coisas diferentes para trocar, como chás, plantio de mudas, salada de frutas e até curiosidades. O educador Pedro Massella foi quem orientou as turmas dessa escola.

 

No Ateliê Jogos e Brincadeiras, as turmas da EMEF Dr. Carlos de Abreu Sodré, da EE Professora Amélia Moncon Ramponi, da EMEF Alferes Tiradentes e da EMEF Maria Lúcia dos Santos criaram acordos de cooperação para todo mundo ter uma boa convivência durante os ateliês e conheceram jogos e brincadeiras bem divertidos: Corrida das Linhas, bolinha de gude, Formação Geométrica, Caçando Reciclagem, Verdade ou Mentira e Corrida de Pô. Para saber se a criançada ficou por dentro de cada um deles, a educadora Luana Batista organizou campeonatos em forma de quiz. As equipes vencedoras ganharam medalhas – e quem errasse as perguntas levava uma torta na cara!

Encerramento do Matéria-Prima: São Paulo

2013 foi um ano produtivo nos ateliês do Matéria-Prima São Paulo. Por isso, nada mais justo do que encerrar o ano com várias atividades – fechando com chave de ouro o último semestre. Teve apresentação para os pais, assembleia e passeio!

Integração com os pais

De 25 a 30 de novembro, as crianças mostraram suas produções para os pais, que puderam conferir de perto o resultado dos ateliês na sede do Matéria-Prima São Paulo. Lá, também deu para ver a pintura nas portas e sala de artes – realizada pelos integrantes do ateliê Arte para Todos – e os vídeos da TV MP, produzida no ateliê de Cultura Digital.

Teve capoeira, vernissage e muito mais – as crianças mostraram aos familiares um pouquinho do que foi produzido durante todo o segundo semestre de 2013. O pessoal do ateliê Era uma vez contou seus “Contos e Causos Caipiras” e “Banquete de Histórias Encantadas” com a ajuda de outros ateliês, que deram uma força no som, figurino e pesquisa.

Os pais também participaram das atividades. Na apresentação do ateliê Jogos e Brincadeiras, a criançada relembrou os tempos de infância dos mais velhos e os colocou para brincar os jogos de sua época!

Já a música ficou por conta do ateliê Canto em Grupo. As crianças fizeram a homenagem “Nosso Poetinha Vinícius de Moraes” e também receberam o Coral Tico Tico. Já a turma do ateliê Som e Movimento mostrou o melhor da capoeira e as crianças do ateliê Arte para Todos exibiram gravuras.

Assembleia 

A última Assembleia do Matéria-Prima São Paulo de 2013, que aconteceu no dia 5 de dezembro, foi sinônimo de organização, opinião e colaboração.

As crianças se reuniram para, coletivamente, dividir as experiências dos ateliês. Elas contaram o que produziram e aprenderam durante o semestre, e aproveitaram para dar sugestões para melhorar ainda mais o projeto! Como sempre, a colaboração dos pequenos foi fundamental para a discussão.

Passeio

Para fechar com chave de ouro nosso balanço positivo de 2013, vale relembrar a “balada com gincana” realizada no dia 11 de dezembro. O Instituto Eurofarma levou 198 crianças do Matéria-Prima São Paulo para aproveitar o dia em um buffet infantil com muita diversão.

As crianças adoraram o passeio e consideraram o dia como o melhor presente de Natal que o Instituto Eurofarma poderia oferecer. A diversão foi tanta que até os educadores participaram da festa e se jogaram nos brinquedos!