Arquivos do Blog

No MP Itapevi, crianças participam da gestão de resíduos e distribuem adubo na comunidade

O Matéria-Prima Itapevi passou a contar neste ano com seis composteiras instaladas pelo Ateliê Itapevi + Verde. Além de fazer parte das atividades do ateliê, a iniciativa está envolvendo as cozinheiras e estagiárias do MP Itapevi e até mesmo moradores da comunidade.

As crianças do ateliê ajudaram na montagem das composteiras no início do ano, soltando as minhocas e colocando resíduos orgânicos. Elas também fizeram plaquinhas para instalar na cozinha do MP Itapevi explicando o que pode e o que não pode colocar nas composteiras, já que são as cozinheiras que separam diariamente os resíduos que vão para lá. No dia a dia, a turma do ateliê e as estagiárias do MP Itapevi se revezam para cuidar do minhocário.

Essa parceria gerou uma diminuição no lixo produzido na cozinha, já que cerca de 5 litros de resíduos são separados por dia para as composteiras.

O húmus e o biofertilizante produzidos na compostagem estão sendo utilizados como adubos nos espaços verdes do MP Itapevi. No final do primeiro semestre, as crianças também distribuíram mudas e saquinhos de húmus para suas famílias e moradores do entorno que possuem jardins. Uma nova distribuição será realizada no final do semestre para as famílias dos participantes do ateliê e dos alunos da EE Paulo de Abreu que realizam atividades com o Ateliê Itapevi + Verde.

Um diário para registrar reflexões e questionamentos sobre os ateliês

Neil Postman, um grande pensador do século XX, afirmou que perguntar e responder são nossas ferramentas intelectuais mais importantes. No Matéria-Prima Itapevi, essa afirmação de Postman é levada muito a sério. Por isso, criamos o Diário do MP, um caderno no qual as crianças registram o que aprenderam naquele dia, o que foi mais complicado de fazer e um espaço muito especial que diz “Viva! Depois de tudo o que aprendi hoje, eu tenho perguntas! Aqui estão elas”. Esse espaço mostra às crianças que devemos valorizar as dúvidas e questionamentos sobre aquilo que acontece nos encontros (e na vida). O registro é feito todos os dias ao final de cada ateliê.

O educador do Ateliê Era Uma Vez…, Márcio Maracajá, ressalta que o Diário é uma ferramenta que provoca uma problematização, já que os participantes precisam parar e pensar em tudo o que fizeram, inclusive questionar o que não entenderam ou o que acharam que não deu certo. As perguntas e respostas são exercícios essenciais e, por meio deles, as crianças vão aprendendo a se posicionar de maneira mais crítica, explica Márcio.

Para Bruno Helvécio, educador do Ateliê Itapevi + Verde, os problemas apontados pelas crianças são importantes para o próprio planejamento do ateliê. “Acredito que, para nós, é um indicador do que podemos melhorar ou ser mais claros no que queremos transmitir”, afirma.

Bruno reserva de 20 a 30 minutos ao final de cada ateliê para que os participantes preencham o Diário. Muitos deles ainda estão em fase de alfabetização e têm um pouco mais de dificuldade para elaborar seus registros, mas o educador – com o apoio das assistentes Regiane Araújo e Leidiane Silva – conversa com cada criança e as ajuda a colocar suas ideias no caderno da forma mais clara possível.

No Ateliê Era Uma Vez…, Márcio repassa as atividades realizadas com as crianças e também realiza um acompanhamento individual junto com as assistentes Regiane Araújo e Erica Pontes para auxiliar os pequenos com a escrita. “E é legal que os participantes que terminam mais rápido ajudam os colegas a preencher também”, conta. O educador destaca que o Diário ajuda a compreender melhor a proposta do ateliê. “É bom para entender o que é o ateliê, quais são nossos objetivos e nosso percurso para alcançar esses objetivos.”

O diário também permite que tanto os educadores quanto os coordenadores do projeto possam obter evidências claras dos avanços das crianças por meio da análise desses registros: a melhora na capacidade descritiva, a clareza na elaboração das perguntas e textos, entre outros.

Pesquisa de campo do Ateliê Itapevi + Verde

O Instituto Humanaterra foi local de uma pesquisa de campo do Ateliê Itapevi + Verde, do Matéria-Prima Itapevi. Os participantes do ateliê e o educador Bruno Helvécio foram até lá em 21 e 23 de setembro para pesquisar sobre possibilidades de plantio.

Últimas atividades do semestre nos ateliês do Matéria-Prima Itapevi

Apresentação de canto, piquenique, oficinas com os pais… Teve muita coisa bacana na última semana de atividades do semestre no Matéria-Prima Itapevi! A gente já contou como foi a exposição do Ateliê Arte na Cidade nesta matéria. Agora você vai conferir o que aconteceu nos outros ateliês.

O Ateliê de Linguagem teve encerramentos diferentes nas três turmas. A turma A, da educadora Maria Lúcia Vidal, dedicou o mês de junho para estudar textos relacionados à Festa Junina, como letras de músicas e receitas. Eles fizeram cartazes para anunciar a Festa Julina do MP Itapevi e, no último dia, prepararam uma receita de pé-de-moça para servir na festa. As crianças da turma B escreveram novos finais para três lendas e mitos estudados no semestre com a educadora Renata Melo. Na turma C, os meninos e meninas fizeram apresentações orais das resenhas que escreveram sobre três filmes de curta-metragem. A educadora Catiusca Borges também sorteou livros que fizeram parte do projeto “Eu te levo, você me leva” entre a garotada. Os textos que as três turmas escreveram durante o semestre foram expostos em um mural no MP Itapevi.

Os pais e responsáveis do pessoal do Ateliê Matéria-Prima Encena participaram de uma oficina de bonecos feitos de materiais recicláveis. Os filhos ensinaram os familiares a construir fantoches de monstros e extraterrestres, e o trabalho será finalizado em uma segunda oficina em agosto. A educadora Renata Melo disse que os bonecos que serão utilizados nas apresentações do segundo semestre já estão prontinhos! No Ateliê Itapevi + Verde, o educador Bruno Helvécio organizou um delicioso piquenique de frutas com as crianças na EE Paulo de Abreu.

A garotada do Ateliê Canto em Grupo e o educador Daniel Reginato selecionaram algumas músicas do repertório do primeiro semestre para apresentar aos participantes e funcionários do MP Itapevi, como “Samba de Maria Luiza”, de Tom Jobim, “Mas que nada”, de Jorge Ben Jor, e “Samba da Bênção”, de Vinicius de Moraes. O Bloco MPI, do Ateliê de Percussão, aproveitou para ensaiar junto com a educadora Simone Medeiros as músicas da apresentação que encerrou o semestre, realizada na Festa Julina do MP Itapevi. Os Ateliês de Capoeira, do educador Edson Santos, Era Uma Vez…, do educador Márcio Maracajá, e Matéria-Prima no Ar, da educadora Renata Melo, já finalizaram o percurso de atividades do primeiro semestre.

Veja como foram as atividades finais nos ateliês do Matéria-Prima Itapevi

As finalizações dos percursos nos ateliês do Matéria-Prima Itapevi envolveram pais, comunidade, funcionários do MP Itapevi e alunos de escolas públicas. E teve muitas coisas bacanas!

O pessoal do Ateliê Arte para Todos caprichou na montagem dos mosaicos, que foram inspirados em contos de fadas. Foram instalados 11 painéis na sede do MP Itapevi e um no CEMEB Vereador Doutor Paulo Ianaconi, representando contos como “Rapunzel”, “João e Maria” e “Branca de Neve”. Para a inauguração dos painéis, teve uma vernissage com lanches deliciosos! As crianças também usaram a técnica de mosaico para redecorar bancos, vasos e um baú que ficam na sede.

Já o Ateliê Era Uma Vez… organizou um banquete de histórias! Os participantes criaram um cardápio para um restaurante de faz de conta, em que as opções de entrada, acompanhamento, prato principal e sobremesa eram histórias. As opções escolhidas pelos “clientes” do restaurante foram encenadas pela meninada do Ateliê. Teve apresentações durante todo o mês de novembro para funcionários do MP Itapevi, pais e moradores da vizinhança. Entre as histórias mais escolhidas estão “A princesa resmungona”, “O macaco do rabo curto” e “O fantasma da bicicleta”.

A EE Paulo de Abreu ganhou dois espaços revitalizados pelo pessoal do Ateliê Itapevi + Verde! Durante o ano todo a turma se empenhou para criar e cultivar jardins de ver e comer nesses dois locais, com hortaliças, temperos, plantas ornamentais e flores. E para dar ainda mais cor aos espaços, eles usaram pneus coloridos para fazer vasos. Os participantes do Ateliê Matéria-Prima no Ar apresentaram a 6ª edição da revista eletrônica “Abre-te Cérebro!” para 76 alunos da EE Doutor José Neyde Cesar Lessa e para crianças e pais do MP Itapevi.

A garotada do Ateliê Matéria-Prima Encena fez uma turnê do teatro de sombras “O pote vazio”, uma adaptação do livro da autora Demi. Foi um sucesso: mais de 1.600 pessoas assistiram! As apresentações aconteceram em quatro escolas municipais e na sede do MP Itapevi, para crianças, pais e funcionários. Eles também realizaram um sarau para os funcionários da sede com histórias curtinhas e bem-humoradas, usando bonecos feitos de materiais recicláveis.

O Bloco MPI, do Ateliê de Percussão, fechou o ano com apresentações e oficinas em duas escolas municipais e na Secretaria Municipal de Educação de Itapevi, além de fazer um cortejo pelas ruas da cidade. As crianças do Ateliê de Capoeira participaram de um festival de capoeira no MP Itapevi organizado pelo educador Edson Santos e por integrantes do grupo ABADÁ-CAPOEIRA.

E o Ateliê Canto em Grupo apresentou um repertório com o tema “Entre bichos e ritmos” na creche do Instituto Madre Elizabete Cerioli, no Centro de Convivência do Idoso de Itapevi e na sede do MP Itapevi, para crianças, pais e funcionários. Entre as canções apresentadas pela garotada estão “O rouxinol”, de Milton Nascimento, “Abri a porta”, de Dominguinhos e Gilberto Gil, e “O buraco do tatu”, de Xavier Bartaburu e Edson Penha.

Um pouco de cada ateliê nos encontros de pais do MP Itapevi

O segundo semestre contou com mais cinco encontros de pais no Matéria-Prima Itapevi (veja como foram os encontros do primeiro semestre). Cada encontro teve cerca de 60 participantes, que puderam conversar com a coordenação sobre as atividades realizadas no MP Itapevi e conhecer os ateliês, além de tomar um delicioso café da manhã. Olha só o que rolou em cada um deles!

6º encontro: No dia 1º de agosto, a coordenação apresentou aos pais as atividades do semestre. Em seguida, as educadoras do Ateliê de Linguagem Maria Lúcia Vidal e Catiusca Borges exibiram a animação “O Farol” e discutiram alguns temas abordados no filme, como vínculos entre pais e filhos e a relação com o mundo e com os outros. Elas também falaram sobre o Ateliê e como foram as atividades com cada turma no primeiro semestre. Para finalizar, os participantes confeccionaram cartões com o tema “O que desejo para meu filho/minha filha?”, que foram expostos na sede do MP Itapevi.

7º encontro: Os pais conheceram a técnica de enfermagem do Instituto Eurofarma Priscila Carvalho de Oliveira, que contou sobre o trabalho que realiza no MP Itapevi. O encontro do dia 29 de agosto também colocou todos os participantes para pôr a mão na massa! O educador Bruno Helvécio, do Ateliê Itapevi + Verde, falou sobre um tema bem discutido atualmente, que é a captação de água da chuva. Além de conferir vídeos e uma cartilha sobre o tema, todo mundo ajudou na manutenção e na ampliação do encanamento da cisterna do MP Itapevi, com a medição dos encanamentos, a preparação dos canos, a criação de dois sistemas de descarte e a higienização da água.

8º encontro: O encontro seguinte foi realizado em 25 de setembro, e foi a vez da educadora Simone Medeiros apresentar o Ateliê de Percussão. Ela explicou a origem do maracatu de baque virado, que as crianças estão praticando neste ano, e falou sobre o produto final do Ateliê: um cortejo pelas ruas de Itapevi. A coordenação ainda apresentou a consultora pedagógica da Eurofarma Ariane Cibele Evangelista Duarte, que está acompanhando as atividades no MP Itapevi.

9º encontro: O encontro do dia 31 de outubro começou com uma conversa entre os pais e a coordenação sobre o andamento dos ateliês. Depois, o educador Edson Santos falou sobre o Ateliê de Capoeira, convidando os participantes a fazer um alongamento e alguns movimentos da capoeira. O dia foi encerrado com uma apresentação de integrantes do grupo ABADÁ-CAPOEIRA, do qual Edson faz parte.

10º encontro: Para fechar o ano, no dia 28 de novembro a coordenação falou com os pais sobre os trabalhos feitos ao longo do semestre e ressaltou a importância da presença deles nos encontros. Os participantes do Ateliê Matéria-Prima Encena fizeram uma apresentação de teatro de sombras com a história “O pote vazio”, da autora Demi. No final, a educadora Renata Melo e a garotada do Ateliê Matéria-Prima no Ar apresentaram a 6ª edição da revista eletrônica “Abre-te Cérebro!”.