Arquivos do Blog

Ateliê Canto em Grupo se apresenta em Mostras Culturais

No dia 5 de novembro, o Ateliê Canto em Grupo, do Ateliê-Escola, participou da Mostra Cultural de duas escolas. A turma da educadora Camila Nascimento se apresentou na EE Professora Amélia Moncon Ramponi e cantou cinco músicas: “Vida de viajante” e “Qui nem jiló”, de Luiz Gonzaga; “Voa bicho”, de Milton Nacimento; “Tenho sede”, de Gilberto Gil; e “Tum pá”, do Barbatuques.

Já a turma do educador George Ferreira fez uma apresentação na EMEF Carlos de Andrade Rizzini, que também foi a apresentação de encerramento do semestre. O repertório foi composto por dez canções: “O som da pessoa”, de Gilberto Gil; “Minha canção”, de Luis Enríquez, Sergio Bardotti e Chico Buarque; “Ciranda da bailarina”, de Chico Buarque e Edu Lobo; “Ora bolas”, de Paulo Tatit e Sandra Perez; “Paula e Bebeto”, de Milton Nascimento; “O vento” e “Maracangalha”, de Dorival Caymmi; “Eu só quero um xodó”, de Dominguinhos; e as canções populares “Juvená” e “Cirandeiro”.

Anúncios

Novos desafios aos pequenos veteranos do Ateliê-Escola

O Ateliê-Escola recebe novas turmas a cada ano. Mas neste ano, as educadoras Camila Nascimento e Luana Batista têm uma novidade: duas turmas que fizeram parte dos Ateliês Canto em Grupo e Jogos e Brincadeiras em 2015 estão participando novamente! Nós conversamos com as duas educadoras para saber como estão sendo as atividades com os pequenos veteranos do Ateliê-Escola.

No ano passado, o pessoal do 3º ano da EE Professora Amélia Moncon Ramponi exercitou a afinação e a coordenação motora no Ateliê Canto em Grupo. “Como era a primeira experiência deles com música, eles fizeram exercícios com os pés e as mãos e conheceram o que são timbres, palmas graves e agudas, afinação, manossolfa, que é uma técnica de escala musical com movimentos, entre outros”, explica Camila. O repertório era composto por canções simples da música popular brasileira, para que as crianças aprendessem melhor as melodias.

Agora que a garotada está no 4º ano, a dificuldade das músicas aumentou! Tem canções com dissonância (quando as notas não seguem um padrão na escala musical), duas vozes, mais quebras rítmicas… Também há brincadeiras com bolas e baquetas para praticar marcação de tempo e divisões rítmicas. O objetivo é que as crianças ampliem a percepção musical e as sonoridades que conhecem. Camila disse que os participantes estão na maior empolgação e que lembram direitinho do que aprenderam no ano passado. “Você vê que a música realmente entrou dentro deles. E eles já entram na sala com postura de músicos, sem fazer bagunça, ficam com a coluna reta para não machucar o diafragma, está muito bacana”, diz a educadora.

O caso do Ateliê Jogos e Brincadeiras é um pouco diferente. As crianças do 2º ano da EMEF Maria Lucia dos Santos que participaram em 2015, quando estavam no 1º ano, se juntaram a outras que não conheciam o Ateliê. Então Luana decidiu retomar algumas atividades feitas no ano passado e também incluir outras com uma dificuldade maior. O mais legal é que aqueles que já tinham feito as brincadeiras passaram a ajudar os colegas. “Eles acabaram se tornando líderes no grupo”, conta a educadora. “O fantástico é acompanhar o crescimento deles. Havia crianças que não conseguiam identificar uma forma geométrica, por exemplo. Hoje elas já conseguem e ainda tomam a iniciativa de ajudar a turma.”

Além de formas geométricas, reciclagem, partes do corpo humano e assuntos de matemática e português, que já estavam presentes nas brincadeiras, os professores pediram para incluir a questão do mosquito Aedes aegypti, que transmite os vírus da dengue, chikungunya e zika. Para isso, os pequenos fizeram a brincadeira “Caça ao mosquito da dengue”. As turmas foram divididas em equipes e saíram pela escola em busca de locais onde o mosquito poderia colocar seus ovos. Cada vez que uma equipe encontrava um local e sugeria as mudanças que deveriam ser feitas, ganhava um ponto.

Final de ano com apresentações, campeonatos e contações de histórias

No Ateliê-Escola, os Ateliês Canto em Grupo, Jogos e Brincadeiras e Era Uma Vez… também realizaram apresentações e atividades para marcar o encerramento do ano!

As turmas do Ateliê Canto em Grupo fizeram oito apresentações na EE Professora Amélia Moncon Ramponi e nas EMEFs João Gualberto do Amaral Carvalho, Professora Maria Lucia dos Santos, Professor Laerte Ramos de Carvalho, Carlos de Andrade Rizzini e Alferes Tiradentes. Algumas das apresentações foram assistidas por alunos e professores de outras turmas, e outras, pelos pais das crianças. Nas EMEFs Maria Lucia e Laerte Ramos, o pessoal do Ateliê cantou durante a Mostra Cultural das escolas.

O repertório incluiu músicas trabalhadas neste ano pelos educadores Daniel Reginato, Camila Nascimento, George Ferreira e Luciene Azevedo, que exploraram canções de mestres da música popular brasileira e ritmos populares. “Voa bicho”, de Milton Nascimento e Telo Borges e “O vento”, de Dorival Caymmi, estão entre as músicas que foram apresentadas entre os dias 18 de novembro e 1º de dezembro.

O Ateliê Jogos e Brincadeiras organizou mais uma edição do Campeonato de Jogos e Brincadeiras! É uma divertida competição entre as turmas com perguntas sobre os temas das atividades que a garotada fez durante o semestre. Se o participante errar a resposta ou se o adversário acertar, ele leva uma torta na cara. As equipes que ficaram em primeiro, segundo e terceiro lugar receberam medalhas de ouro, prata e bronze, e a vencedora ainda ganhou um troféu! A educadora Luana Batista conduziu os campeonatos na EE Professora Amélia Moncon Ramponi e nas EMEFs Alferes Tiradentes e Carlos de Andrade Rizzini nos dias 16 e 24 de novembro e 1º de dezembro.

E o pessoal do Ateliê Era Uma Vez… fez contações de histórias para turmas das EMEFs João Gualberto do Amaral Carvalho, Professora Maria Lucia dos Santos e Doutor Antônio Carlos de Abreu Sodré e da EE Professora Amélia Moncon Ramponi. Além disso, eles mostraram aos colegas os livrinhos que fizeram com registros e ilustrações dos contos lidos neste semestre junto com o educador Márcio Maracajá. As contações foram realizadas nos dias 19 e 27 de novembro e 7 de dezembro.

MP Itapevi de cara nova no segundo semestre

As crianças do Matéria-Prima Itapevi tiveram uma grande surpresa ao voltar das férias no dia 27 de julho! As paredes da sede, que eram lisas e brancas, ganharam muitas cores e desenhos feitos pela educadora Fúlvia Marchezi, do Ateliê Arte na Cidade. Não teve nenhum espaço no MP Itapevi que ficou de fora dessa repaginada.

Fúlvia aproveitou as férias da garotada para fazer todo o trabalho, que levou 12 dias e teve a colaboração da educadora Camila Nascimento e da assistente Vanessa Veiga, do Ateliê-Escola. Elas usaram tinta acrílica para fazer as ilustrações e para pintar algumas paredes com uma técnica chamada pátina, misturando vários tons de cores. Outros desenhos foram feitos com tinta spray, aplicada nas paredes sobre moldes de figuras (essa técnica se chama estêncil).

“As crianças ficaram encantadas, disseram que parecia um novo Matéria-Prima”, conta Fúlvia. E as novidades do MP Itapevi não acabaram por aí! Os participantes do Ateliê Matéria-Prima no Ar usarão computadores novinhos, comprados pelo Instituto Eurofarma. Este novo semestre está começando com tudo!

Ritmos e mestres da música popular brasileira no Ateliê Canto em Grupo

O repertório deste ano no Ateliê Canto em Grupo, do Ateliê-Escola, apresenta grandes mestres da música popular brasileira e ritmos populares. Tem o samba, o baião, o maracatu, a congada e outros ritmos urbanos e regionais. Nas primeiras atividades do ano, as crianças já conheceram duas músicas: “Canto do povo de um lugar”, uma ciranda de Caetano Veloso, e “Maracangalha”, um samba de Dorival Caymmi.

São canções que muitos participantes do ateliê estão ouvindo pela primeira vez. Por isso, o educador Daniel Reginato conta que sempre procura explicar o contexto da música e buscar elementos com os quais as crianças possam se identificar. A cada nova canção, Daniel e os outros educadores do ateliê – Camila Nascimento, George Ferreira e Luciene Azevedo – falam sobre sua história, os compositores, a época em que foi criada e outras características.

Há também dinâmicas diferentes em cada encontro. As crianças diferenciam ritmos e timbres em atividades com o corpo, para depois entender como os sons podem ser organizados em uma música. Nos exercícios de técnicas de canto, elas percebem como usar o corpo para fazer sons agudos e graves, emitir alguns sons sem machucar a garganta e muito mais.

No final do primeiro semestre, alguns participantes farão minioficinas com outras turmas da escola. Será assim: os educadores vão organizar jogos e brincadeiras musicais com o pessoal do ateliê. Depois, a garotada receberá outros alunos e formará duplas, para cada um mostrar ao colega como é a atividade e todo mundo fazer junto. E para encerrar o ano, haverá uma grande apresentação para os pais e os alunos da escola!

Apresentações do Matéria-Prima no Festival Eurofarma

Quatro unidades da Eurofarma em São Paulo e Itapevi conheceram um pouquinho do que aconteceu nos ateliês do Matéria-Prima São Paulo e Itapevi em 2014 durante o Festival Eurofarma. Realizado entre os dias 1º e 4 de dezembro, o evento contou com apresentações de quatro ateliês nos espaços das unidades Itapevi, Freguesia do Ó, Campo Belo e Interlagos e alegrou a rotina dos colaboradores!

O Ateliê Matéria-Prima Encena, do MP Itapevi, fez um happening – aquela intervenção artística cheia de expressões e movimentos – sobre medo e coragem. A apresentação, orientada pela educadora Renata Melo, foi feita para as crianças da creche da Eurofarma. Já o Ateliê Percussão, também do MP Itapevi, fez um lindo cortejo de maracatu nas praças das unidades, acompanhado pela educadora Simone Medeiros.

As apresentações do MPSP ficaram por conta do Ateliê Canto em Grupo e foram organizadas pelos educadores Daniel Reginato e Camila Queiroz. Um dos grupos cantou músicas de Dorival Caymmi e Tom Jobim que falam sobre a natureza, e que fazem parte do percurso “Canções da Mata ao Mar”. E as outras apresentações, com canto e percussão corporal, eram parte do percurso “Canto das Águas”, com músicas brasileiras sobre a importância da água.