Arquivos do Blog

Música e dança em visitas do MP Itapevi

No dia 27 de agosto, os participantes de dois ateliês do Matéria-Prima Itapevi realizaram visitas com muita música e dança. O Ateliê Canto em Grupo, acompanhado do educador Daniel Reginato, conheceu a Escola do Auditório Ibirapuera e assistiu aos ensaios dos alunos. Já a educadora Simone Medeiros levou o Bloco MPI, do Ateliê de Percussão, à EE Professor Antonio Alves Cruz para cantar e dançar com o Grupo Maracatu Bloco de Pedra.

Ateliê Percussão entra no ritmo do maracatu com muitas atividades

O Ateliê Percussão, do Matéria-Prima Itapevi, já começou o ano com muitas atividades diferentes! Para conhecer melhor as origens do maracatu, no dia 23 de março a educadora Simone Medeiros levou a criançada ao Museu Afro Brasil, no Parque Ibirapuera, em São Paulo. Lá eles viram muitas coisas sobre a cultura afro-brasileira, desde a história dos negros trazidos da África até elementos das manifestações culturais, como vestimentas, instrumentos musicais e estandartes.

Já no dia 27 de março, a turma recebeu a visita de Ana Lúcia Silva, que é dançarina profissional há mais de 20 anos. Ela conduziu as crianças em uma oficina de dança do maracatu, mostrando os passos básicos e o ritmo. No dia seguinte, elas continuaram nesse ritmo com a Oficina de Maracatu do Projeto Calo na Mão, realizada na EE Professor Antonio Alves Cruz, em São Paulo. Foi uma tarde dedicada ao maracatu de baque virado, com danças e canto de loas (músicas do maracatu).

Arte e movimento nas oficinas do 12º Matéria-Prima nas Férias

O ano começou com muita animação no Matéria-Prima Itapevi! Durante os dias 19 e 22 de janeiro, os filhos dos colaboradores da Eurofarma e dos prestadores de serviços das unidades Campo Belo, Freguesia do Ó, Interlagos e Itapevi participaram do 12º Matéria-Prima nas Férias. Foram quatro dias repletos de atividades e brincadeiras para as 77 crianças e adolescentes entre 7 e 15 anos.

A garotada foi dividida em grupos para participar de oficinas com atividades corporais e manuais. As corporais colocaram todo mundo para se mexer! As atividades envolviam movimento, dança e brincadeiras como pega-pega e esconde-esconde. Nas oficinas manuais, o pessoal soltou a imaginação para fazer desenhos e pinturas.

O dia 21 também contou com passeios bem interessantes em Santana do Parnaíba, passando pelo centro histórico, pela Igreja Matriz e pelo Museu Casa do Anhanguera. Já no último dia foram realizadas Oficinas de Percussão com a educadora Simone Medeiros e a gincana Torta na Cara, na qual os participantes levavam uma bela “tortada” se errassem as perguntas!

Encontro de alunos Matéria-Prima São Paulo e Itapevi: Folguedos

Ainda durante a manhã de encontro entre alunos do Matéria-Prima, os da sede São Paulo apresentaram folguedos estudados ao longo do semestre nos ateliês Era uma Vez… e Som e Movimento.

Os alunos do Ateliê Era uma Vez… encenaram uma história de Boi Bumbá, contando também sobre a tradição da dança em diferentes partes do país.

O educador João Paulo Caetano Alves apresentou às crianças diversas versões de histórias e elas selecionaram a que seria contada pelo grupo. Com uma atuação caprichada, o resultado foi uma apresentação rica e divertida.

Em seguida, apresentaram uma dança inspirada no folguedo “Caboclinho”, estudado durante o semestre no Ateliê Som e Movimento.

O educador responsável Alexandre Rodrigues Souza comentou com muito orgulho a evolução das crianças.

Encontro de Gerações

Há 53 anos o Sr. Benedito parou a bicicleta perto de um grupo de amigas, onde se encontrava uma moça de vestido rodado e um laço nos cabelos. Com poucas palavras e firmeza na voz, mesmo tremendo por dentro, disse:
– Um dia vou me casar com a Senhorita.

Quatro anos mais tarde, a moça reencontrou o rapaz num baile e os dois começaram a namorar. Um tempo depois se casaram, tiveram dois filhos e agora o casal já tem netos e bisnetos . E vocês pensam que eles pararam de dançar? De jeito nenhum!  No último dia 22, foram contar para a galerinha do Ateliê Som e Movimento as histórias de quando eram jovens e aproveitaram para mostrar como se dança bolero.

Durante o mês de setembro foram realizados quatro Encontros de Gerações. Os 12 convidados, todos com mais de 70 anos, moradores da região de Interlagos, contaram  histórias sobre como brincavam as crianças nas décadas de 40 e 50, como era a relação entre pais e filhos,  como se vestiam,  sobre as dificuldades de frequentar uma escola e ter que parar de estudar logo após aprender a ler para trabalhar e ajudar a família. Também responderam às curiosidades dos jovens. Eles disseram ter ficado emocionados com a viagem que fizeram ao passado e, principalmente,  ao perceber o interesse das crianças em ouvi-los. Após o bate-papo foram ensinados alguns passos de dança e os encontros terminaram com ritmo, antecipando o Grande Baile de Gerações programado para o final de ano.