Arquivos do Blog

Crianças transformam o muro do MP Itapevi com o grafiteiro Tinho

As 28 crianças do grupo vermelho transformaram a aparência dos muros da sede do Matéria-Prima Itapevi com uma ajudinha especial: a do grafiteiro Walter Nomura, mais conhecido como Tinho. Ele é considerado o pai do estilo freestyle no Brasil, com técnicas, materiais e desenhos fora dos padrões do grafite que vieram dos Estados Unidos. E esse artista reconhecido em todo o mundo visitou o MP Itapevi com seu assistente, Fabiano Nunes, nos dias 8 e 9 de junho, a convite do Instituto Eurofarma.

A ideia era que os novos desenhos que iriam colorir os muros da sede fossem feitos pelos próprios participantes do grupo vermelho, que têm entre 10 e 13 anos. O único requisito dado por Tinho era que os personagens desenhados fossem “fofinhos”. Conforme o pessoal ia criando seus desenhos, a coordenação do MP Itapevi mandava as imagens para o grafiteiro, que contribuía com algumas orientações.

Nos dias de realizar a pintura, Tinho e Fabiano fizeram o contorno dos desenhos elaborados pelas crianças para que elas colorissem depois, utilizando tintas spray e látex. As cores também foram escolhidas pelos participantes – e eles adoraram deixar sua marca no MP Itapevi! Durante a pintura, várias pessoas que estavam andando pela rua olhavam curiosas e perguntavam sobre a ação. As crianças até deram entrevista para o pessoal do Ateliê Matéria-Prima no Ar, que será publicada na próxima edição da revista eletrônica “Abre-te Cérebro!”. Veja no álbum abaixo como ficou lindo o resultado final!

Pijamas e pantufas para visitar a exposição da dupla OSGEMEOS

Só o passeio à exposição “A ópera da lua”, da dupla de grafiteiros OSGEMEOS, já era uma oportunidade de muito aprendizado para os participantes do Ateliê Arte na Cidade, do Matéria-Prima Itapevi. Mas o educador Gabriel Daher resolveu enriquecer ainda mais a experiência: ele propôs que as crianças também fizessem sua própria intervenção durante as visitas, que aconteceram nos dias 29 e 31 de julho!

Antes dos dias marcados para ir ao Galpão Fortes Vilaça (onde aconteceu a mostra), em São Paulo, o educador falou sobre o contexto do movimento hip-hop, que tem o grafite como um de seus quatro elementos principais (os outros são break, MCs e rap). Com cores vibrantes nas roupas e nos desenhos e um estilo único de dança e música, a estética do hip-hop surgiu nas periferias dos Estados Unidos com a ideia das pessoas deixarem sua marca no mundo ao serem diferentes.

Nas visitas as crianças também fizeram as coisas de uma maneira diferente, deixando sua marca com a intervenção “A gente veio sonhar”: elas viram as obras de OSGEMEOS vestidas de pijamas, meias e pantufas e munidas de travesseiros e ursinhos de pelúcia.