Arquivos do Blog

Um viveiro para toda a escola na EMEF Alferes Tiradentes

Um espaço de aprendizado, contato com a natureza e integração entre a escola e a comunidade. É assim que é visto o viveiro da EMEF Alferes Tiradentes, criado em 2013 por meio de uma parceria com o Viveiro Escola, do Ateliê-Escola. O viveiro ocupa um espaço bem amplo no estacionamento da escola e conta com diversos recursos, como uma minicisterna, uma composteira e uma roda de bananeiras.

O coordenador pedagógico da escola, Silem Santos Silva, conta que o Viveiro Escola colocou em prática uma proposta que a equipe estava bastante interessada em fazer, mas ainda não tinha conseguido devido às atividades que ocupam a rotina dos professores. “A parceria com o Ateliê-Escola é extremamente importante”, diz Silem. “Quando o Ateliê-Escola entrou, ele deu conta desse outro conteúdo que está no dia a dia escolar, mas na modalidade extraclasse”, explica.

Na EMEF Alferes Tiradentes, as turmas dos anos iniciais são as que participam do Viveiro Escola, mas o viveiro é aberto a atividades de todas as turmas. O coordenador menciona que o espaço já foi local para contações de histórias e para uma atividade do 7º ano em que os alunos fizeram uma identificação das plantas do viveiro e das árvores da escola. “O viveiro cria um contato com a natureza, respeito à terra, noção de como lidar com a vida, compreensão dos processos de plantio e colheita. As crianças também passam a valorizar o trabalho no campo, os alimentos e o trabalho manual”, afirma.

Silem destaca que o espaço do viveiro é bastante valorizado tanto pela comunidade escolar quanto pela comunidade externa. Funcionários e pais podem levar mudas para casa e muitos professores conversam com o educador Bruno Helvécio para saber como fazer o plantio. As cozinheiras e a equipe de limpeza também contribuem com a composteira levando restos de cascas de alimentos e folhas recolhidas no pátio da escola.

Não é à toa que o viveiro da EMEF Alferes Tiradentes serviu como modelo para professores, coordenadores e diretores de outras escolas públicas de São Paulo nas formações sobre horta escolar organizadas em 2015 pelo Ateliê-Escola. Para Silem, esse é um motivo de orgulho. “As escolas públicas têm uma certa rejeição a esse tipo de projeto com a comunidade por receio de depredação. Nós não temos esse problema aqui, percebemos um grande respeito das pessoas que vêm aqui aos finais de semana e da comunidade interna. Eles veem a beleza do espaço e o aprendizado das crianças e respeitam o viveiro.”

Essa boa experiência levou o coordenador e um professor da escola a pensar na expansão do jardim que fica perto do estacionamento. Eles pretendem utilizar conceitos de geometria para planejar o espaço e conversar com o educador Bruno para entender quais tipos de plantas poderão ser plantadas, o tipo de terra a ser utilizada e de que forma podem fazer a ampliação. Temos certeza de que será mais um lindo espaço para toda a escola aproveitar!

Pronta a primeira instalação dos jardins suspensos!

Como contamos aqui, o projeto inaugural do Ateliê Itapevi + Verde consiste na elaboração de dois jardins suspensos.

Cada criança participante do ateliê plantou uma muda, assim somando 60 plantinhas engarrafadas. As primeiras 30 já foram instaladas na sede Itapevi do Matéria-Prima. Onze espécies diferentes de flores compõe o conjunto. São elas: Gazânia, Crista de galo, Érica, Allyson, Tagetes, Sálvia, Cravinia, Russélia, Mini rosa, Gerânio pendente e Lantana.

O resultado é de encher os olhos!

Conhecendo o Ateliê Itapevi + Verde

O Ateliê Itapevi +Verde, desenvolvido no Matéria-Prima Itapevi, foi implantado neste ano e tem como objetivo ensinar as crianças a plantar e cuidar de flores, hortaliças, ervas para tempero, etc.

O projeto mais ambicioso desse ano para o Ateliê é que as crianças usem as áreas de terra de suas casas fazendo jardins de olhar e comer (com flores, legumes, ervas etc). Esses jardins serão feitos em grupo com a orientação da educadora responsável e com a participação das famílias.

A iniciativa é uma contribuição singela que nós todos (educadores e crianças) estamos fazendo ao projeto Quintais Produtivos da Embrapa. Nossa intenção é que as famílias passem a utilizar toda a área de terra de suas residências (incluindo vasos) para a criação e o cuidado desses “Jardins de Olhar e Comer”.

O projeto inaugural do Ateliê é a elaboração de um jardim suspenso de mudas suportadas por garrafas PET. Está sendo desenvolvido e algumas etapas já estão em andamento!