Arquivos do Blog

Turmas do Ateliê Canto em Grupo apresentam clássicos da MPB em Mostra Cultural

As turmas do Ateliê Canto em Grupo (Ateliê-Escola) da EMEF Doutor Antônio Carlos de Abreu Sodré fizeram apresentações na Mostra Cultural da escola! O evento aconteceu no dia 15 de setembro e reuniu pais, moradores do bairro e toda a comunidade escolar. A primeira turma a se apresentar foi a do educador George Ferreira, seguida da turma da educadora Luciene de Azevedo. O repertório incluiu clássicos da MPB e cantigas populares, como “Canto do povo de algum lugar”, de Caetano Veloso, “Minha canção”, de Chico Buarque, “Águas de março”, de Tom Jobim e “Maria, Maria”, de Milton Nascimento.

Jubileu: canções da MPB na voz das crianças do Ateliê Canto em Grupo

O Jubileu da Eurofarma, realizado no dia 27 de abril, contou novamente com uma linda apresentação do Ateliê Canto em Grupo, do Matéria-Prima Itapevi! O evento é uma grande festa que homenageia os funcionários da Eurofarma que completaram 10, 15, 20 e 25 anos de trabalho na empresa. 20 crianças, acompanhadas pelo educador Daniel Reginato, se apresentaram aos mais de 200 convidados presentes no Buffet Torres, em São Paulo (SP). O repertório foi composto por canções populares da MPB: “Estrela”, de Gilberto Gil; “O pato”, de Jaime Silva e Neusa Teixeira; e “Abri a porta”, de Dominguinhos e Gilberto Gil.

Ateliê Canto em Grupo se apresenta em Mostras Culturais

No dia 5 de novembro, o Ateliê Canto em Grupo, do Ateliê-Escola, participou da Mostra Cultural de duas escolas. A turma da educadora Camila Nascimento se apresentou na EE Professora Amélia Moncon Ramponi e cantou cinco músicas: “Vida de viajante” e “Qui nem jiló”, de Luiz Gonzaga; “Voa bicho”, de Milton Nacimento; “Tenho sede”, de Gilberto Gil; e “Tum pá”, do Barbatuques.

Já a turma do educador George Ferreira fez uma apresentação na EMEF Carlos de Andrade Rizzini, que também foi a apresentação de encerramento do semestre. O repertório foi composto por dez canções: “O som da pessoa”, de Gilberto Gil; “Minha canção”, de Luis Enríquez, Sergio Bardotti e Chico Buarque; “Ciranda da bailarina”, de Chico Buarque e Edu Lobo; “Ora bolas”, de Paulo Tatit e Sandra Perez; “Paula e Bebeto”, de Milton Nascimento; “O vento” e “Maracangalha”, de Dorival Caymmi; “Eu só quero um xodó”, de Dominguinhos; e as canções populares “Juvená” e “Cirandeiro”.

O Passo: uma educação musical para todos

“A ideia do famoso ‘dom’, de que se nasceu ou não para a música, é perigosíssima e tem realmente servido apenas como desculpa tanto para aqueles estudantes que não têm forças para entrar ou permanecer num processo de ensino-aprendizagem musical quanto para aqueles professores que não sabem como conduzir esse processo.”

Lucas Ciavatta, autor do método para a educação musical O Passo

Entre as ações do Ateliê-Escola, está o Ateliê Canto em Grupo. O ensino de música, embora esteja previsto por lei, está longe de ser oferecido pela maioria das unidades escolares. Razões para isso, como sabemos, não faltam. Mas, felizmente, para algumas escolas, a presença dos educadores do Instituto Eurofarma tem tornado possível esse ensino.

Duas das perguntas-chave que orientam qualquer ação educativa, “O que queremos ensinar?” e “Como vamos fazer isso?”, têm sido respondidas no contexto do Ateliê Canto em Grupo da seguinte maneira: queremos que os estudantes conheçam compositores e sejam capazes de cantar canções que se tornaram “clássicos” da música brasileira. Para isso, vamos lhes apresentar obras de Pixinguinha, Luís Gonzaga, Dorival Caymmi, Noel Rosa, Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Caetano Veloso e outros. Queremos também que os estudantes conheçam e valorizem a diversidade rítmica brasileira, porque a consideramos um dos nossos patrimônios culturais mais importantes.

E como vamos ensinar o que estamos nos propondo? O uso d’O Passo no Ateliê-Escola

O Ateliê Canto em Grupo é conduzido por quatro educadores. Embora cada um tenha seu jeito de ensinar, todos concordam sobre a eficácia do método de educação musical chamado O Passo, criado pelo carioca Lucas Ciavatta e que tem sido usado não só no Brasil, como em outras partes do mundo.

Qualquer produção sonora feita por uma pessoa demanda necessariamente algum movimento corporal. Ou seja, não é possível tocar ou cantar sem realizar algum tipo de movimento. O corpo, portanto, é o único instrumento do qual não podemos prescindir para fazer música. Foi a partir dessa observação (aparentemente óbvia), que Lucas Ciavatta desenvolveu O Passo.

Os dois princípios que orientaram a elaboração do método, a inclusão e a autonomia, foram decisivos para sua adoção pelo Ateliê-Escola. O princípio da inclusão expressa a crença de Lucas de que todos são capazes de aprender música, crença compartilhada pelos gestores do Ateliê-Escola. Além disso, Lucas também se dedicou a elaborar um jeito de ensinar que contasse apenas com recursos bem simples: palma e voz. Assim, não é necessário instrumentos ou equipamentos que, muitas vezes, as escolas têm dificuldade em conseguir.

O método consiste no uso de movimentos específicos com os pés (os passos) e as mãos (as palmas) para acompanhar a pulsação da música e, consequentemente, entender sua estrutura rítmica. “É uma linha de pensamento de educação musical que defende que é o corpo que vai facilitar a compreensão do ritmo dentro de uma pulsação. Então o corpo está sempre manifestando a pulsação da música para que a gente possa compreender os eventos rítmicos em relação a essa pulsação”, diz Daniel Reginato, um dos educadores do ateliê.

Em uma das atividades, os participantes precisam acompanhar as palmas do educador, porém, de costas para ele – o que não dá certo. Daniel pergunta o que poderiam fazer para que todos batessem palmas ao mesmo tempo, e as próprias crianças dão a sugestão: contar até três para bater as palmas. É a deixa para o educador apresentar O Passo Quaternário Simples, em que um compasso de quatro tempos é marcado por dois passos para frente e dois para trás. Ao contar os passos e saber em qual deles todos vão bater palmas, os pequenos conseguem fazer isso juntos, sem depender de ver o que Daniel está fazendo.

Para conhecer mais sobre O Passo, acesse: opasso.com.br.

Música e dança em visitas do MP Itapevi

No dia 27 de agosto, os participantes de dois ateliês do Matéria-Prima Itapevi realizaram visitas com muita música e dança. O Ateliê Canto em Grupo, acompanhado do educador Daniel Reginato, conheceu a Escola do Auditório Ibirapuera e assistiu aos ensaios dos alunos. Já a educadora Simone Medeiros levou o Bloco MPI, do Ateliê de Percussão, à EE Professor Antonio Alves Cruz para cantar e dançar com o Grupo Maracatu Bloco de Pedra.

Uma Festa Junina feita por todo mundo do Matéria-Prima Itapevi

O último dia do semestre no Matéria-Prima Itapevi foi marcado pela tradicional Festa Junina – que neste ano foi Julina, já que aconteceu no dia 1º de julho. A festa é organizada pelo MP Itapevi, mas conta com as ideias e a ajuda de toda a garotada! A coordenação conversou com as crianças para decidir em conjunto o que ia ter na festa e quais seriam as músicas que iriam tocar. Um dia antes da festa, todos ajudaram a decorar a sede com bandeirinhas, balões e outros enfeites juninos.

Além disso, a turma A do Ateliê de Linguagem fez vários cartazes para decorar os ambientes e se preparou durante todo o mês de junho, estudando receitas, músicas e outros elementos típicos de Festa Junina. Eles também prepararam uma receita de pé-de-moça para servir na festa. O dia da festa foi de muita diversão! Teve brincadeiras de pescaria, boca do palhaço e argolas, quadrilha, fogueira e músicas regionais ao vivo, com a apresentação do trio O Barba e as Nega. O repertório escolhido pelas crianças, formado por músicas sertanejas, também animou o evento.

O cardápio do dia foi repleto de comidas típicas, como canjica com amendoim, milho cozido, curau, pipoca, paçoca, pé-de-moleque, doce de abóbora e muito mais! A criançada ainda ajudou a eleger a Miss e o Mister Caipirinha, que capricharam nas roupas caipiras. A festa foi encerrada com uma apresentação do Bloco MPI, formado pelos participantes do Ateliê de Percussão, e com a entrega de kits com lembrancinhas para todo mundo.